“In the future, everyone will be world-famous for 15 minutes.”

- Andy Warhol

Campbell’s soup cans

Andy Warhol - "Campbell’s soup cans", 1962

Após  o final da segunda guerra mundial, as indústrias norte americanas começaram a se reestruturar, e o governo começou a dar incentivos para aumentar o poder de compras. As conseqüências disso foram um consumo exagerado e a soberania dos EUA perante aos outros países.

A cultura americana baseava-se no consumismo, na industrialização e nas culturas de massa. É nesse contexto que surge a Pop Art.

Esse movimento artístico do pós-guerra  emergiu entre as décadas 50 e 60. Nasceu na Inglaterra, mas popularizou-se no EUA.  Um grupo formado por jovens artistas e críticos, denominados Independent Group, foi o percursor da Pop Art em 1952, com propósitos de desafiar idéias aceitas sobre a arte moderna. Mas vale reforçar que o Pop Art é um movimento muito influenciado pelo dadaísmo e os ready-mades de Duchamp, mas se difere dos mesmos.

Freqüentemente utilizando signos estéticos massificados como forma de expressão artística,  ou removendo materiais do seu contexto tradicional, isolando ou unindo a outros materiais com fins meramente contemplativos, a Pop Art veio como uma crítica irônica da cultura de massas e da vida cotidiana materialista.

Os artistas desse movimento utilizavam recursos e técnicas já existentes na cultura de massas, como a publicidade impressa, historias em quadrinhos e outros objetos culturais.

Andy Warhol (1928 – 1987) foi a figura mais conhecida do Pop Art, e também a mais controvertida. Suas obras eram mais do que uma visão irônica da cultura de massa, eram também uma apropriação ao cenário consumista e materialista. Segundo David McCarthy,  Warhol insistia em que fazia parte da cultura contemporânea tanto quando qualquer homem de negócios bem sucedido.

Tentando tornar a sua arte o mais industrial possível, utilizando métodos de produção em massa, Warhol realiza obras como  “Campbell’s soup cans” , “Green Coca-Cola Bottles” e “The Twenty-Five Marilyns” em 1962.

Green Coca-Cola Bottles”

Green Coca-Cola Bottles

Warhol  tinha um compromisso com o mercado, para ele, o artista fazia parte da sociedade  de consumo. Queria comercializar a arte, torná-la um produto como tantos outros na sociedade consumista, a Pop Art estava disponível para quase todas as classes sociais, diferindo-se assim da arte moderna que estava restringida a apenas os conhecedores da própria arte. Para Warhol em uma cultura de massas nada mais justo do que uma arte em massa.

 

The Twenty-Five Marilyns

The Twenty-Five Marilyns

“Ao morrer em 1987, Warhol deixou um espólio avaliado em US$ 100 milhões e era quase tão conhecido  em todo o mundo quanto Picasso”  (Mamiya 1992, p.1)

 

Fonte:  Arte Pop – Movimentos da Arte Moderna – David Mccarthy, 2002.

About these ads